A Fundação Cartier encarna a prática insidiosa de usar uma fundação “artística” para seduzir o público, fazendo-o acreditar que sua mercadoria e seu modelo de negócio são na realidade o oposto de sua verdadeira relação com a natureza e os interesses das povos indígenas …

“A verdadeira relação da Fundação Cartier com a natureza” -Fotomontagem – Barbara Crane Navarro
fotos: Exposição da Fundação Cartier “Nós as árvores” – Luc Boegly / mina de ouro – João Laet

As empresas que afirmam ter “generosidade abnegada” enquanto “patrocinam” povos indígenas e a biosfera que seu modelo de negócios destrói são duvidosas … assim como as ONGs e outros que as sancionam.

Claudia Andujar, La Lutte Yanomami, 2020, Fondation Cartier, Paris. LUC BOEGLY 2020 (detalhe)

A Cartier é a única empresa de artigos de luxo a usar os Yanomami como porta-vozes (vendedores?) de seu negócio de joias de ouro e diamantes.

Mas você … Se você compra joias de ouro e diamantes, relógios e acessórios da Cartier e outros na indústria de luxo, ou mercadorias de ouro e diamantes em outlets ou lojas de desconto, você está também cúmplice da destruição das florestas tropicais e da degradação da vida dos povos indígenas.

Por favor, diga NÃO ao ouro!

Foto: Destruição de minas de ouro na floresta amazônica (detalhe) – Edsjio
“Os garimpeiros destroem a floresta” – desenho no papel – Namowë Yanomami

Como diz o porta-voz Yanomami Davi Kopenawa no capítulo ” Fumaça de Metal ” de seu livro “A Queda do Céu”: “Foi ao me tornar um espírito … que conheci a epidemia dourada, que chamamos de oru a xawara. … A epidemia de xawara está crescendo nos lugares onde os brancos fabricam seus produtos e os acumulam. Sua fumaça emana desses produtos e das fábricas onde são cozidos os minerais de onde são derivados. … Meu sogro sempre me diz: ‘Você tem que dizer isso aos brancos! Eles devem saber que estamos morrendo um após o outro por causa dessa fumaça ruim das coisas que estão puxando do solo.’ É isso que estou tentando explicar para aqueles que ouvirem minhas palavras. Talvez isso os torne mais sábios? Mas é verdade que se eles continuarem a seguir este caminho, todos nós morreremos. Isso já aconteceu com muitos outros povos da floresta nesta terra do Brasil antes, mas desta vez eu acho que mesmo os brancos não sobreviverão.”

https://barbara-navarro.com/2020/07/07/o-verdadeiro-custo-das-joias-de-luxo-os-carteis-lavam-dinheiro-com-drogas-vendendo-ouro-para-cartier-e-outros-no-setor-de-luxo-e-os-yanomami-e-outros-povos-indigenas-estao-pagando-o-preco-atualiza/

About Barbara Crane Navarro - Rainforest Art Project

I'm a French artist living near Paris. From 1968 to 1973 I studied at Rhode Island School of Design in Providence, Rhode Island, then at the San Francisco Art Institute in San Francisco, California, for my BFA. My work for many decades has been informed and inspired by time spent with indigenous communities. Various study trips devoted to the exploration of techniques and natural pigments took me originally to the Dogon of Mali, West Africa, and subsequently to Yanomami communities in Venezuela and Brazil. Over many years, during the winters, I studied the techniques of traditional Bogolan painting. Hand woven fabric is dyed with boiled bark from the Wolo tree or crushed leaves from other trees, then painted with mud from the Niger river which oxidizes in contact with the dye. Through the Dogon and the Yanomami, my interest in the multiplicity of techniques and supports for aesthetic expression influenced my artistic practice. The voyages to the Amazon Rainforest have informed several series of paintings created while living among the Yanomami. The support used is roughly woven canvas prepared with acrylic medium then textured with a mixture of sand from the river bank and lava. This supple canvas is then rolled and transported on expeditions into the forest. They are then painted using a mixture of acrylic colors and Achiote and Genipap, the vegetal pigments used by the Yanomami for their ritual body paintings and on practical and shamanic implements. My concern for the ongoing devastation of the Amazon Rainforest has inspired my films and installation projects. Since 2005, I've created a perfomance and film project - Fire Sculpture - to bring urgent attention to Rainforest issues. To protest against the continuing destruction, I've publicly set fire to my totemic sculptures. These burning sculptures symbolize the degradation of nature and the annihilation of indigenous cultures that depend on the forest for their survival.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

1 Response to A Fundação Cartier encarna a prática insidiosa de usar uma fundação “artística” para seduzir o público, fazendo-o acreditar que sua mercadoria e seu modelo de negócio são na realidade o oposto de sua verdadeira relação com a natureza e os interesses das povos indígenas …

  1. Pingback: Gold Mining Is Destroying the Amazon and Its Indiginous People. Please Support the Rainforest Art Project. – World Animals Voice

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s